Últimas notícias | Brasil $type=three$count=9$show=home

ECONOMIA$type=three$count=3$show=home

Últimas Notícias - Plantão $type=three$count=3$show=home

Brasil$type=grid$count=3$show=home

Pacheco aumenta pressão sobre Bolsonaro e diz que política externa 'ainda está falha'

 


O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), voltou a cobrar do presidente Jair Bolsonaro mudanças na política externa brasileira, considerada pelo senador falha e que precisa ser corrigida para que o país tenha um Ministério de Relações Exteriores "que funcione".


Pacheco se reuniu na manhã desta sexta-feira (26) com Bolsonaro, depois do primeiro encontro com governadores para tratar das demandas no âmbito do comitê nacional de enfrentamento à Covid-19.


Ao final do encontro, disse ter externado novamente ao presidente a insatisfação com a política externa brasileira. O chanceler Ernesto Araújo é visto por Pacheco e pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), como um dos principais responsáveis por fracassos nas ações de combate à pandemia.


"A permanência ou a saída do ministro, de qualquer que seja ele, cabe ao presidente. O que nos cabe enquanto Senado, Câmara, enquanto Parlamento, é cobrar e fiscalizar as ações do ministério", afirmou. "E consideramos que a política externa do Brasil ainda está falha, precisa ser corrigida, é preciso melhorar a relação com os demais países, inclusive com a China, porque é o maior parceiro comercial do Brasil."


Segundo Pacheco, Bolsonaro ouviu as críticas, mas não fez comentários nem sinalizou se o ministro será mantido ou substituído. "Com ministro A ou ministro B, o que importa é um ministério que funcione."


Nesta semana, a insatisfação com a conduta de Ernesto à frente do Itamaraty ficou clara nas participações do ministro em sessões na Câmara e no Senado. O chanceler foi criticado e recebeu pouco apoio de aliados do presidente. Auxiliares de Bolsonaro dizem que a forma escolhida para pressionar pela troca de Ernesto foi agressiva e, na opinião deles, deve fazer o processo demorar mais.


Ainda de acordo com auxiliares, o presidente se irritou com o tom das críticas e em especial com declarações de Lira, que, na quarta-feira (24), chegou a falar de "remédios amargos" e "fatais" do Parlamento caso não exista, do outro lado, a "flexibilidade de ceder".


Pacheco falou ainda sobre Filipe Martins, assessor para assuntos internacionais da Presidência, flagrado fazendo gesto obsceno e racista durante sessão do Senado em que acompanhava Ernesto. Martins, que se apresenta nas redes sociais como professor de política internacional e analista político, fazia um gesto que pode ser lido como "ok", mas também como "vai tomar no c.", especialmente no Brasil.


O gesto, no entanto, tem outra conotação para grupos de extrema direita dos EUA e foi classificado como "expressão da supremacia branca" pela Liga Antidifamação (ADL, na sigla em inglês), organização que monitora crimes de ódio naquele país. Os três dedos esticados simbolizam a letra "w", que seria uma referência à palavra em inglês "white" (branco). Já o círculo formado representa a letra "p", para a palavra "power" (poder). Ou seja, o símbolo é apontado como símbolo de "poder branco".


"Conversamos a respeito disso muito rapidamente. Eu informei ao presidente da República que isso é objeto de um procedimento de apuração e de investigação no âmbito da Polícia Legislativa do Senado, que terá suas conclusões", disse. "E as consequências jurídicas deste fato serão obviamente existentes, serão apuradas, e as providências, tomadas."


Pacheco reiterou que o Senado repudia qualquer "tipo de manifestação racista, de ato obsceno, gesto obsceno" e qualquer tipo de brincadeira de mau gosto, "caso tenha sido essa a intenção". "Seja qual for a intenção, foi um comportamento completamente inapropriado."


Segundo o presidente do Senado, a polícia vai apurar o fato, a materialidade e a autoria, sugerir a tipicidade e encaminhar ao Ministério Público e ao Judiciário para que sejam tomadas providências.

Comentários

Nome

Brasil,27,C1,4,calote,1,Covid-19,6,cultura,8,economia,35,esportes,65,eventos,6,EXCLUSIVO,111,Famosos,26,golpistas,1,JUSTIÇA,30,mundo,22,MUNICÍPIOS BAIANO,37,notícias,85,policial,73,política,144,Portal Bahia,55,Rádio Tudo FM,1,saúde,87,TV Nordeste,5,
ltr
item
Portal Bahia Notícias / Policial / Política / Saúde / Esporte / Eventos: Pacheco aumenta pressão sobre Bolsonaro e diz que política externa 'ainda está falha'
Pacheco aumenta pressão sobre Bolsonaro e diz que política externa 'ainda está falha'
https://1.bp.blogspot.com/-ISW5J1sMSPw/YF54xLTbaMI/AAAAAAAAH6Q/3xt2KCadkeIUES6i42E1NYF6ERplYrebQCLcBGAsYHQ/s320/IMAGEM_NOTICIA_5%2B%25288%2529.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-ISW5J1sMSPw/YF54xLTbaMI/AAAAAAAAH6Q/3xt2KCadkeIUES6i42E1NYF6ERplYrebQCLcBGAsYHQ/s72-c/IMAGEM_NOTICIA_5%2B%25288%2529.jpg
Portal Bahia Notícias / Policial / Política / Saúde / Esporte / Eventos
https://www.portalbahianoticias.com.br/2021/03/pacheco-aumenta-pressao-sobre-bolsonaro.html
https://www.portalbahianoticias.com.br/
https://www.portalbahianoticias.com.br/
https://www.portalbahianoticias.com.br/2021/03/pacheco-aumenta-pressao-sobre-bolsonaro.html
true
6394631663971599416
UTF-8
Carregar todas as matérias Nenhum resultado encontrado. Ver mais Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início Páginas Matérias Ver todas Veja também Tópico Arquivo Buscar Todas as matérias Nenhum resultado encontrado para sua busca Voltar ao início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo Há 1 minuto Há $$1$$ minutos Há 1 hora Há $$1$$ horas Ontem Há $$1$$ dias Há $$1$$ semanas Há mais de 5 semanas Seguidores Siga ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe em uma rede social PASSO 2: Clique no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar